Sentimentos Não São Pedras, Eles São Como Rosas
“Existem três níveis no indivíduo humano: sua fisiologia, seu corpo; sua psicologia, a mente; e seu ser, seu ser eterno.  O amor pode existir nestes três planos, mas a qualidade dele será diferente. No plano da fisiologia, o corpo, ele é simplesmente sexualidade. Você pode chamá-lo de amor, porque a palavra amor parece ser poética, bonita. Mas noventa e nove por cento das pessoas estão chamando o sexo de amor. O sexo é biológico, físico. Sua química, seus hormônios – toda matéria está envolvida nele…
“Somente um por cento das pessoas conhece um pouco mais profundamente. Poetas, pintores, músicos, dançarinos, cantores, têm uma sensibilidade tal que podem sentir além do corpo. Eles podem sentir as belezas da mente, as sensibilidades do coração, porque eles próprios vivem nesse plano.  Mas um músico, um pintor, um poeta vive num plano diferente. Ele não pensa, ele sente. E porque ele vive em seu coração, ele pode sentir o coração da outra pessoa. Isto é comumente chamado de amor. Isto é raro. Eu estou dizendo somente um por cento talvez, esporadicamente.
“Porque tantas pessoas não estão se movendo para o segundo plano se ele é tremendamente belo? Existe um problema: qualquer coisa muito bela é também muito delicada. Não é uma armadura, é feita de vidro muito frágil. Uma vez que um espelho tenha caído e quebrado, não tem nenhum modo de remontá-lo. As pessoas têm medo de se envolver e tocar as camadas delicadas do amor, porque neste estágio o amor étremendamente belo mas também tremendamente mutável. Sentimentos não são pedras, eles são como rosas…”






“Poetas são conhecidos, artistas são conhecidos por se apaixonarem quase todos os dias. O amor deles é como uma rosa. Enquanto ela está lá ela é tão perfumada, tão viva, dançando no vento, na chuva, no sol, afirmando sua beleza. Mas ao anoitecer ela pode ir embora, e você não pode fazer nada para impedi-la. O mais profundo amor do coração é como uma brisa que vem em seu quarto, traz seu frescor, ela é amena, e depois se vai. Você não pode segurar o vento em seu punho fechado com suas mãos. Muito poucas pessoas são tão corajosas para viver uma vida de momento a momento, uma vida mutante. Por isso, elas decidiram viver um amor no qual elas podem depender.
“Eu não sei qual tipo de amor você conhece – muito provavelmente o primeiro tipo, talvez o segundo. E você tem medo de que se você chegar em seu ser, o que acontecerá com seu amor? Certamente ele vai embora – mas você não será um perdedor. Um novo tipo de amor aparecerá o qual talvez só aparece em uma pessoa em milhões. Este amor só pode ser chamado de amorosidade.” 
Osho, From Death to Deathlessness, Talk #17
 Ciúme - Quando há atração sexual e o ciúme entra é porque não há amor. Há medo, porque o sexo é uma exploração. O medo se torna ciúme. Não se podeamar alguém não-livre, pois o amor só existe se dado livremente, quando nãoé exigido, forçado e tomado. Quanto mais controlamos, mais “matamos” ooutro. As causas do ciúme estão dentro de nós; fora estão só as desculpas. Oamor não pode ser ciumento. Ele é sempre confiante. Confiança não pode serforçada. Se ela existir, segue-se por ela. Senão, é melhor separar, paraevitar danos e destruição e poder amar outra pessoa. Quando amamos alguém,confiamos que não quererá outro. Se quiser, não há amor e nada pode serfeito. Só através do outro tornamo-nos conscientes de nosso próprio ser. Sónum profundo relacionar-se o amor de alguém ressoa e mostra suaprofundidade: assim nos descobrimos. Outra forma de autodescoberta, sem ooutro, é a meditação. Só há dois caminhos para chegar ao divino: meditação e amor.
OSHO
 
 
fuckyeahmineralogy:

Fluorite under long wave UV; Rogerley Mine, Country Durham, United Kingdom

Basket Star (Gorgonocephalus sp.) 
This basket star was observed offshore Norway at the Midnattsol field at 928m depth. You can see a big close-up of this creature at http://www.serpentproject.com/magnify_gorgon.php
(photo by SERPENT Project | Flickr)
#sketching time!!! #sketch
Left half
Crystal
#blanching time! #testing

 

(Source: italian-horror)

I’ll be taking the hearts that you’re breaking and putting them in a jarSo when you’re sixty or old and you’re dizzyThey’ll tell you who you are